A Banca Records

Zona de Perigo

A Banca Records
[Jorge Amorim]
Quantos deram a mão, hein?
Eu conto nos dedos
Pronto pra missão, vem
Pia, brota sem medo

[Sequela]
Ando na sombra e cês não conseguem me ver
Penso e não falo pra cês não tem que entender
Meu ponto fraco que pra vocês são ponto g
Pisar no calo dos outros é algo que te dar prazer
Vai se fuder, e tenta levar junto
Esse seu rap que é fraco pra rolar morte em conjunto
Ou escute mudo, pra não falar oque não deve
Minha glock canta rap enquanto o meu sangue ferve
E é jeb, na cara de quem fala mal de mim
Jeb de letra pra você cai sozin
Enquanto os meus demonios estão lutando por mim
Assino contrato a sangue pro meu rap não ter fim
E sozin eu boto todos vocês pra correr
O rap é uma gangorra e são vocês que vão descer
Ou pode escolhe o lado que vão correr
Pois só vão tomar a boca quando o sequela morrer

[Frent]
A impotência ta estampada
No cigarro na calçada
Pega a visão camarada
Nesses becos tem cilada
Tem cusao na minha bota
Amolando a ponta da faca
Enquanto amolo minha caneta
Pros irmãos escrevo a carta
Comerei do suor no meu rosto
Viverei do corre que resgatou do poço
Rap é a palavra que gerou o livro novo
Primeira página agora
Que merda tudo de novo
Dito um verso especialista em assassinar racista
Meu braço direito é negro
Visto ainda suas camisas
Fiz da tripa coração
Minhas falhas em correção
Tempos variados
Em busca de 1 milhão
São 3 dias acordado
De noite não durmo
Linha de frent tá chegando
Corro no terceiroturno
Corro tanto na madruga
Que me chamam de noturno
Quem me inveja fala que essa porra é um absurdo
A ambição que sustenta o conforto
Atrai muitos que viram bobos na mão de outros
Esse é o frent cuspindo fogo
Não vem babar meu ovo
Nem dava um salve quando eu tava no fundo do poço

[Jorge Amorim]
Não consegui evitar fadiga
E quem disse que eu não tava pronto pra essa briga
Então vê se não me subestima
E pros pela saco eu tô 100 níveis acima

Quantos deram a mão, hein?
Eu conto nos dedos
Pronto pra missão, vem
Pia, brota sem medo

[Mazin]
Entrei na zona de perigo
Meus demônios de fuzil na mão
Se protegendo pra nenhum deles
Minha santa não achar
Oráculo teve uma previsão
Mostrando a minha coroa
Um filho a ela iria dar
Minha mãe trabalhadora
As contas quase paga
A escola mó responsa
Meu filho seja forte, a vida é
Só selva, vá caçar as onças
Do meu bolso fiz um aquário
Não tem jeito, cheio de peixe
No bolso direito
Pau que nasce torto não se endireita
Eu ouvi
Mas um dia eu me endireito
Patolino de escopeta dando tiro no eufrazino
Tio patinha, cheio dos paco na mão
Chega a me dar nostalgia
Rap sonho de padaria
Vocês sonhando com a migalha
Eu me engordando com pão
Eu invadi o olímpo decidi que o topo
É o mínimo, o trono de zeus eu vim tomar
Fiz amizade com a morte
Vocês contando com a sorte
Mas hoje eu enterro ela a 7 palmos
Do mar

Preto caro, bronca lebron james
Entrou na minha área
Vacilou, eu enterro
Preto caro, bronca lebron james
Entrou na minha área
Vacilou, eu enterro

[Jorge Amorim]
Quantos deram a mão, hein?
Eu conto nos dedos
Pronto pra missão, vem
Pia, brota sem medo