A Euterpia

Atrás de Um Riso Estridente...

A Euterpia
Onde foi parar minha alegria disfarçada
O meu sorriso a toa, que me distraia
Será que eu mesmo devorei a minha agonia
E vomitei pensando que ria, mas chorava

Não se culpe nem se poupe
Deite-se, vire-se música
Deite-se, vire-se
Deite-se, vire-se música
Deixe se musicar

Aonde se esconderam as mentiras enrustidas
Que eu passei batido e nem me dei por conta delas
Será que a minha paixão obsessiva não se cansa
Ou o meu amor insiste tudo até o fim

Azul, azul, acorda cedo pra pintar
Claro, escuro, claro

Não se culpe nem se poupe
Deite-se, vire-se música
Deite-se, vire-se
Deite-se, vire-se música
Deixe se musicar