Quadrilha Intelectual

Aviso Às Gerações

Quadrilha Intelectual
De favela pra favela
Quadrilha
Aviso às gerações

Treina mais e sangra menos, na batalha
Tem família, tem progresso, tem medalha
Soa o gongo, respirou, tá vivo tá no ringue
Ninguém para nosso time

Aviso às gerações, barracos e mansões
Quebrada quer, sonhar, viver, saímos dos porões
Poder pras multidões, nas 4 estações
Oh noiz aqui, oh noiz ali, distante dos caixões

O sol me deu mais uma chance pra tentar (vou buscar)
Por castelo quantos tijolos vão ter que quebrar? (ruuu)
Se o clima da quebra é de festa (vamu)
Tempestade pra quem atravessa (rrraaaá)
Tudo nosso também tudo delas (é noiz)
Não adianta vim bater de testa

Nosso inimigo não é só o capataz (quem é?)
Qual é a distância entre a ação e os ideais? (qual é parceiro?)
Na minha rua oportunidades não são iguais (quem me dera hein)
Sem princípio toda lei é ineficaz (bora carai, bora bora)

Rasgando o vento, calor ou sereno, nem vendo
Querendo o melhor do meu tempo
Não quer eu respeito, sem culpa e sem medo
Vai ser desse jeito pra chegar primeiro
As nave? Os ouro? Pra noiz o dinheiro é pouco(é pouco)
Conforto! Pro patrão é velho, pra previdência ainda é novo

A chuva pra uns é enchente (prraaá)
Pra outros sinal de colheita (cada um)
Não é só sistema, é viver entre lobo e sereia (vamu viver)
Prosperar não é roubo, a grade só quer bicho solto
Malandragem não é crime (num é)
No deserto a água só vem com esforço

Treina mais e sangra menos, na batalha
Tem família, tem progresso, tem medalha
Soa o gongo, respirou, tá vivo tá no ringue
Ninguém para nosso time

Aviso às gerações, barracos e mansões
Quebrada quer, sonhar, viver, saímos dos porões
Poder pras multidões, nas 4 estações
Oh noiz aqui, oh noiz ali, distante dos caixões

Tem parasita e os que tão trampando
Tem quem tá vivo e quem tá vegetando
Tem os que cobra e os que passa o pano
O bem e o mal e noiz vai peneirando
(Hum ah!) é correr na luz e andar no escuro (andar no escuro)
As bala e as migalha é pra quem tá em cima do muro

Vai ter pente fino, (vai) só quem é que vai passar batido
Pra homem e menino, tá vivo, tem risco
Vacilo é aquilo o cerol vai tá fino (vai, vai, vai)
Tem trono e tem tombo e nós tamu avisando (tamu)
Poucos respiram, muitos sufocando
Se é nosso o mérito, nós somos dono (nós somos dono)

Mais um enquadro, puxa a placa do carro (arrombado)
Prepara pro choque, meu nome
Não devo, sem droga, não é roubado (não, não)
Criança, tiozin (criança, tiozin) as casa e as bocada (também tem)
De esquina em esquina (anran), respeito não falta (não falta)

Herdamos a glória, queremos vitória
Caminho sem brecha (caminho sem brecha)
O ontem é agora, respeita a história
Quem tem mais primavera (tem mais primavera)
Na mão de playboy privilégio (por enquanto)
Pra noiz é questão de acesso (só quem é)
Dinheiro na mão vendaval
Deixa noiz sentir um pouco a brisa do progresso

Treina mais e sangra menos, na batalha
Tem família, tem progresso, tem medalha
Soa o gongo, respirou, tá vivo tá no ringue
Ninguém para nosso time

Aviso às gerações, barracos e mansões
Quebrada quer, sonhar, viver, saímos dos porões
Poder pras multidões, nas 4 estações
Oh noiz aqui, oh noiz ali, distante dos caixões