Samba-Enredo 2012 - O Samba Agoniza Mas Não Morre. Nelson Sargento da Mangueira e Também do Jacaré!

Unidos do Jacarezinho

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
Lua
Noite estrelada me convida pra cantar
As grandes obras de um artista popular
Um menestrel
Com inocência e pé no chão, do tempo de zagaia
Viu-se o sargento abraçado ao violão
Ele fez um carreteiro
Em terras de salgueiro com seu tamborim
Seu primeiro amor de verde e rosa se vestiu
E na primavera
A voz do morro lhe sorriu

Se o samba agoniza, não deixa morrer
De boteco em boteco, faz o chão tremer
Negro forte destemido, fidalguia do salão
Sou baluarte da canção

A noite se repete
Em sinfonias imortais
Prisioneiro deste mundo e geraldo, autorias
Magistrais
Orfeu da conceição, (ôô) como ator (ôô), primeiro dia,
Se o poeta canta encantos e paixões
O trato com amor sincero
O sol... Desponta, e a aurora vem mostrar,
Suas lindas paisagens impossíveis não se apaixonar.
Prometo... Nunca vou te abandonar
Como eu te amo, ninguém mais te amará

Que show de vida, vem sambar
Surdo um da bateria é de arrepiar
Bate forte continência, com respeito e carinho
Pra nelson sargento no jacarezinho