Desacelere

Ursu Martins

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
O dia passou meus olhos não viram
As pessoas, os gestos, os cheiros
O sol brilhou não notei
A brisa, as árvores, os gestos
Meu tempo seguiu e não, não percebi
Os olhares, os carinhos, o bem querer

Cada segundo que se foi
Não pude perceber o quanto havia por fazer
Quantas vezes neguei o que estava logo ali
A noite chegou, roupas jogadas, comida sem sabor
O vazio, péssimas lembranças, fantasias frustradas
A dor que não passa, os desencontros, a saudade

Vou para a beira do mar
O vento vai soprar, ela está aí iê iê
A doce brisa que fortalece a alma

Os pés sob a água, o frescor, o balanço
Paz, e meu corpo se perdoou iê iê
Desacelere, desacelere baby

Acordo, me abraço
Sigo em pausa, desacelero meu dia
Envolto sobre minhas verdadeiras necessidades
Sinto minha grama, a brisa, a lembrança e o afeto
A beleza, o sabor, o calor
Sigo ao encontro do meu brilho

A noite chegou, não sinto frio
Hoje quero você aqui, tenho tudo que preciso
Sua força, seu olhar, seu falar
Se posso escolher
Então me escolho todos os dias
Me entrego ao sossego, ao prazer e ao amor

Vou para a beira do mar
O vento vai soprar, ela está aí iê iê
A doce brisa que fortalece a alma

Os pés sob a água, o frescor, o balanço
Paz, e meu corpo se perdoou iê iê
Desacelere, desacelere baby